Conheça o Gemini: IA Google com plano de assinatura premium

A Google anunciou Gemini como nome das ferramentas de inteligência artificial, abolindo o nome anterior, o Bard. Neste artigo, apresentamos a você tudo sobre a IA generativa, o app para smartphone e a versão avançada para pagantes

A gente já estava acostumado com o Bard, mas, os ventos sopraram em outra direção e agora é pra valer: a Google anunciou Gemini como nome das ferramentas de inteligência artificial da cia. Sissie Hsiao, VP da empresa, já deixou avisado que a mudança já será perceptível aos usuários a partir de 08/2.

A empresa considera essa mudança como uma das mais importantes da história da cia. “O Gemini representa nossa família de modelos mais hábeis (…) está evoluindo para ser mais do que apenas uma família de modelos. Ele suporta todo um ecossistema — desde os produtos que bilhões de pessoas usam todos os dias, até APIs e plataformas que ajudam desenvolvedores e organizações a inovar”, diz o comunicado assinado por Sundar Pichai, CEO da Google.

Vamos às infos:

O que é o Gemini

Gemini é um novo modelo de linguagem multimodal, capaz de entender interações em texto, áudio ou imagem, lançado pela Google em dez/23 e que agora é estendido a diversos produtos e plataformas que já estão disponíveis para os usuários. Em linhas gerais, dá para comparar com o GPT-4, a versão mais avançada da OpenAI.

O Gemini tem 3 versões com características distintas de velocidade de processamento e capacidade de lidar com atividades mais complexas: a Nano, a tradicional e a Advanced (que chamava-se Ultra).

O modelo Gemini Advanced fica mais ágil em atividades que exijam “raciocinar, seguir instruções, codificação e colaboração criativa”, disse o CEO Sundar Pichai, em comunicado.

Embora ainda disponível apenas em inglês (e sem previsão da versão em PT), pode ser acessado em 150 territórios, inclusive o Brasil.

O novo app do Gemini

No Android, os usuários contam com um aplicativo dedicado à IA, onde podem interagir por meio de texto, voz ou imagem.

Com exceção do smartphone Pixel 8 Pro da Google que tem uma IA no aparelho, demais processamentos do Gemini ficam na nuvem (recursos do Gemini disponíveis em celular com no mínimo Android 12 e memória RAM de 4 GB).

A turma da maçã

Usa iPhone? Poderás usar o Gemini via app Google sem precisar instalar nada além. Basta que seu iPhone tenha sistema iOS 16 ou mais para ser capaz de acessar as funções do modelo de linguagem Gemini.

E pelo computador

O endereço é gemini.google.com.

Tela inicial do Gemini

Clicando lá no topo em Experimente o Gemini Advanced, chega-se a esta tela:

Img: Redação Ponto de Performance

O Tecnoblog divulgou uma imagem interna, de usabilidade pós-login:

Img: Tecnoblog

Resumão da notícia sobre o Gemini

  • O serviço de IA muda de nome: sai Bard e passa a chamar-se Gemini e, com isso, o Google Assistente passa a ser alimentado pelo modelo do Gemini. O Duet AI se torna Gemini nos aplicativos do Google Workspace e do Google Cloud (incluindo o Gmail e Google o Docs);
  • Gemini ganha um app dedicado a ele no Android;
  • Google One AI Premium é o nome do serviço Google One com plano de inteligência artificial generativa de alta capacidade e custará um preço fixado em R$ 96,99/mês, no Brasil

Nas pesquisas que fizemos, encontramos a info de que as conversas são processadas por seres humanos com o objetivo de aprimorar a tecnologia do Gemini e que a Google recomenda que os usuários não insiram dados confidenciais. Vale sempre o lembrete.